• Pubblicazione del 15 Ottobre 2014 ore 19.00
  
  

Trabalho escravo é realidade no país sede do Mundial 2014

lavoro_schiavo-Agencia_Brasil

Serviço Especial - Eduardo Fiora 

São Paulo (Brasil). Em maio de 1888, sob forte pressão do governo inglês e enfrentando uma onda de acontecimentos políticos desfavoráveis, a monarquia brasileira decretava o fim da escravidão no país.

 

Passados 126 anos da assinatura da Lei Áurea pela princesa Isabel, filha do imperador D.Pedro II, o Brasil ainda convive com as marcas deixadas pela exploração da mão-de-obra escrava. No país tropical, sede do Mundial Fifa 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016, a escravidão contemporânea manifesta-se na clandestinidade e é marcada pelo autoritarismo, corrupção, segregação social, racismo, clientelismo e desrespeito aos direitos humanos.
O Brasil, segundo levantamento feito pela ONG Walk Free Foundation ocupa o 94º no índice de 162 países onde o trabalho escravo é uma realidade ser combatida. A ONG estima entre 170 mil e 217 mil pessoas (entre elas estrangeiros, sobretudo da Bolívia e Haiti), situação de trabalho análogas à escravidão, com concentração nas indústrias de carvão, madeira, mineração, construção civil, e nas lavouras de cana, algodão e soja.
Dados da Comissão Pastoral da Terra (CPT), órgão da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, apontam para 197 casos de trabalho escravo no Brasil em 2013, com 2.874 trabalhadores envolvidos e 2.208 resgatados. Esse número é inferior a 2012, quando foram resgatados 2.730 trabalhadores.
Segundo José Guerra, coordenador da Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo foram libertados mais de 45 mil trabalhadores desde 1995 e o número de resgates vem diminuindo, ainda que o fluxo de operações continue o mesmo. “Posso dizer que estamos em uma encruzilhada. Não sabemos se o trabalho escravo está diminuindo ou se está se tornando mais sofisticado. O que temos é um número menor de trabalhadores resgatados. Temos que pensar o que é isso”.
Confira a seguir, num serviço especial preparado pela redação brasileira de Italiani o panorama do trabalho escravo no gigante sul-americano.

Italian Media s.r.l. - via del Babuino, 99, Roma, c.a.p. 00187, p.IVA 09099241003, edita il settimanale Italiani con registrazione al Tribunale di Roma n. 158/2013 del 25.06.2013 - email: info@italianmedia.eu